Translate

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Tem cuidado



Espero que nunca te apaixones por mim. Espero que tenhas no teu juízo todo o discernimento do mundo. Que percebas que estou danificado, que não tenho nada de gente dentro de mim. Que entendas que eu não sou a tua salvação nem a tua esperança. Espero que sim.

Espero que nunca te apaixones por mim.
Tenho fé que entendas que eu não sou uma pessoa, sou um ser. Falhas abundam em mim aos milhares. E não, nem todos nós somos um mar de imperfeições. Eu sou a personificação da imperfeição, e não me esforço para ser diferente. Espero que percebas que nunca irei mudar quem sou, como respiro, como caminho em direcção ao fim dos meus dias. Espero que sim.

Espero que nunca te apaixones por mim.
Quero pensar que sabes que a cadeira que aqui está , livre do meu lado, não tem razão de ser. Não quero que se sentem junto a mim, me perguntem o que for nem partilhem aquele cigarro que guardam para uma ocasião destas. Este espaço que existe é para permanecer um espaço, um elemento decorativo na imensidão da tortura e solidão que é a minha existência. Espero que saibas que estou sozinho, por mim, e sem fé no amanhã. Espero que sim.

Espero que nunca te apaixones por mim.
Desejo que nunca te encantes com o meu sorriso, o meu toque na tua face, a minha vida de sorver os dias como se terminassem hoje. Passei toda uma vida a praticar esta arte do "que se lixe" e agora não conheço outra forma de aqui passar o meu tempo. Que nunca te deixes levar por esta minha displicência com os sentires. Espero que saibas que a minha estrada não se cruzará com ninguém, com mais ninguém. Espero que sim.

Espero que nunca te apaixones por mim.
Só quero que nunca te apaixones por mim.
Por favor, nunca te apaixones por mim.

2 comentários: