Translate

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Oração da Aflição

Deixas-me sonhar contigo hoje? Só hoje. Ia fazer-me bem. 

Deixa-me sonhar que molhamos os pés neste mar e que ninguém nos observa. 

Que a vida somos nós que a fazemos. 
Que as nossas pegadas nesta areia não são apagadas pela força das ondas, e permanecem para sempre, onde quero também permanecer contigo. 

Que a eternidade nos pertence, apenas a nós e mais ninguém. 

Deixas?

Se me deixares sonhar contigo hoje eu posso ser tudo aquilo que desejo, apenas por te sentir nas minha mãos como nunca senti mais ninguém.

É um pedido estranho, bem sei, mas eu nunca fui alguém coerente quando o assunto és tu. 

Sem quereres desmascaras toda esta figura que criei para me defender de ti. Apenas de ti. Nunca precisei de defesas com ninguém. Nunca quis sonhar ninguém. E agora faço-te este pedido tão absurdo, sem cabimento e vazio de sentido, como se de uma bênção se tratasse.

Deixa-me sonhar contigo sem que durma, apenas por hoje.
Peço-te que me deixes mergulhar por ti adentro como se nunca me faltasse o ar, afogando-me nesse mar que é a tua essência.  
Apenas por este dia quero pedir-te que me deixes conhecer o fundo do teu oceano, ao invés de apenas conhecer os teus olhos como os de mais ninguém.

Deixas-me sonhar contigo?
Deixas-me abraçar-te plenamente sem censuras, preocupações ou punições?
Tocar-te na alma e arrancar-te todas as tuas dores e pecados? Hoje, apenas hoje, deixa-me entregar-me sem contemplações e deixar-te levar-me para onde mais queiras, no teu mais recôndito espaço de paz, de tempestades, de luxúria e prazer... no teu mais íntimo recanto de ti.

Deixas-me sonhar contigo? Só hoje. 

Só te peço o hoje, porque o amanhã não o sei dizer e amanhã pode ser tarde demais.


Sem comentários:

Enviar um comentário