Translate

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Angústia

Não percebo de onde vem esta angústia, honestamente. É um aperto aqui dentro que não tem descrição, ou melhor não tem justificação. Só sei que aperta. Muito. E derrete-me. Muito. O que mais custa é o facto de não encontrar explicação plausível para um estado letárgico que apenas eu sei sentir.

Tu não percebes nada disto. Tens as tuas próprias preocupações que certamente não são tão gritantes como este ardor que vai comendo a minha fibra e deixa na vala comum do pensamento.

É uma sepultura, acho. Não existe ar, nem me consigo mexer convenientemente por isso deve ser esse o sítio onde estou. Mas é indicado, acredito. Nascemos para morrer, tão somente isso, e se morrer é viver dia após dia nesta angústia e inocência, então estou no caminho certo. Breve estarei a ver os braços esticados do Anjo da Morte e ele se irá encarregar de tratar de mim.

Apenas desejo que tenha energia para aguentar o suficiente para que ultrapasse todos os que me amam, para que não assistam, em dor, à dor que é sentir a dor que a alma se encarrega de me difundir por todos os cantos do meu sentir.

Sem comentários:

Enviar um comentário