Translate

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Não chores mais

Não chores mais.

Podes deixar-me aqui, sozinho, não faz mal. Eu consigo encaixar-me no escuro e permanecer sem incomodar mais ninguém. Não precisas olhar para trás nenhuma vez pois não me mexi. Nem um músculo se move em mim. Podes continuar descansada, pois não faz mal.

Não penses mais nas palavras trocadas, nos porquês sem respostas, nas ausências que só a presença sabe exprimir. Não é preciso perder tempo a contemplar o que poderia ter sido pois ambos sabemos que não será nada mais que aquilo que foi. E foi perfeito durante tanto tempo.

Não precisas voltar para trás. Eu não quero que voltes, que sintas pena ou angústia. Eu estou no escuro, mas prometo que aqui há mais luz que aí. No abraço da escuridão posso ver-te vezes sem conta e desabafar o que não tive coragem de te dizer no momento em que viraste costas e partiste. Aqui, no meu quarto sem janelas, posso dizer tudo aquilo que deveria ter dito mas que a tristeza não deixou sair.

Limpa a saudade dos teus olhos. São tão lindos, não precisas de os lavar com lágrimas. Eu também te sinto a falta, confia. Podia ter sido mas não foi. Mais uma vez o que poderia ter sido foi destruído pelo que afinal nunca deixou de ser.

Por isso, não chores mais.
Eu choro por nós dois. 

Sem comentários:

Enviar um comentário