Translate

sábado, 22 de novembro de 2014

Viagem

Já te pensei tanta vez que perdi a conta ao número de viagens que fiz até junto de ti.
E sempre que até aí viajo, a recepção é a mesma: porta fechada e um “encerrado para remodelação” que não desaparece.
A viagem de volta é feita de uma mesma forma, de todas as vezes. A sós, a pensar no que poderia ter sido a nossa conversa, a nossa troca de galhardetes sobre o nada que envolve os nossos tudos individuais.

Ou quem sabe, apenas e somente uma conversa silenciosa em que poderíamos deixar que fossem os nossos olhares os interlocutores. Iluminar-se-iam quando o tema nos levasse a rir ou simplesmente a recordar algum bom momento, e molhar-se-iam quando o desespero nos assaltasse ou a saudade fosse demasiada para descrever por palavras ditas.
Nem sempre as viagens acabam bem. Esta será sempre uma dessas viagens.

Sem comentários:

Enviar um comentário